Reinventando a Bernardo Sayão

Reinventando a Bernardo Sayão – Jornal O Popular

Omomento financeiro do País bate à porta de um segmento que viveu até dois anos atrás uma fase de vacas gordas: as confecções. A crise pode explicar o cenário de queda nas vendas, mas estar preparado para as adversidades é um fator predominante para sobreviver no mercado.

Um dos maiores polos têxteis de Goiânia, a Bernardo Sayão, enfrenta uma queda nas vendas que causou o fechamento de aproximadamente 600 salas comerciais devido a um processo de “afunilamento”. Fatores como o alto custo das viagens (já que muitos clientes vêm de outras cidades), necessidade de enxugar o orçamento de compra, falta de exclusividade dos produtos vendidos e a falta de parceria entre fornecedor e lojista resultaram em uma queda de faturamento que chega a 30% na região.

No cenário de dificuldades, entra em cena a figura do representante comercial, profissional que leva os produtos diretamente às lojas, atendendo às necessidades do cliente em reduzir custos, vender produtos exclusivos, evitar que o lojista tenha que viajar para adquirir mercadoria etc. Usando essa estratégia, algumas lojas estão conseguindo sair da crise. Para o lojista, manter uma equipe que sai a campo é mais lucrativo do que ter uma loja física.

Por fim, se os confeccionistas estão buscando clientes que “sumiram”, devem se lembrar do ditado “Se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé”. Cerca de 90% das grandes confecções goianas estão buscando esse antigo canal de venda que se faz tão necessário para a reinvenção da Bernardo Sayão.

Fonte: http://www.opopular.com.br/editorias/opiniao/opini%C3%A3o-1.952961/reinventando-a-bernardo-say%C3%A3o-1.1164958

Write a comment